Tendências SEO em 2016

Tendências SEO em 2016

eTrends
30 Outubro, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

Embora o SEO não tenha mudanças drásticas, existem pequenas mudanças que vão acontecendo e a verdade é que os consumidores continuam a fazer muitas e variadas buscas para encontrarem o que pretendem.

A Forbes reuniu 7 tendências de SEO que se preveem de sucesso para 2016.

 

1. Video content

O ROI do conteúdo de vídeo vai ultrapassar no próximo ano o do conteúdo escrito que hoje ainda é considerado como "conteúdo padrão".

Em 2016 espera-se que as novas tecnologias e a necessidade de as marcas se destacarem faça o conteúdo escrito ser ultrapassado em grande pelo vídeo, seja pelo alcance, o engagement, a eficácia ou pelo ROI.

As aplicações como Instagram, Snapchat ou o Vine são também responsáveis por isso.

Seja on demand ou Live, o vídeo online vai começar a revolução.

 

2. Otimização mobile

Desde que o Google lançou o novo algoritmo que as marcas começaram a aperceber-se o que há muito acontecia: estamos numa era mobile. Na verdade, no início de 2015 as pesquisas móveis ultrapassaram pela primeira vez as pesquisas por desktop.

Websites mobile-friendly são, portanto, beneficiados.

 

3. Assistentes Digitais

Siri, Cortana, Google Now: estes assistentes digitais estão cada vez mais famosos e cada vez são mais utilizados fazendo a ligação entre o público e o browser.

Segundo a Forbes, pesquisas faladas são por norma muito diferentes das pesquisas digitadas, o que implica novas palavras chave, principalmente porque os utilizadores tendem a falar com os assistentes como se dialogassem.

 

4. Conteúdo agregado

O conteúdo agregado vem substituir as notícias/cobertura de eventos: o Twitter já está a testar um recurso chamado “Moments” que vai agregar os tweets de eventos numa única página para que as pessoas possam estar a acompanhar, tornando os próprios utilizadores, os criadores de conteúdos.

Como resultado, ferramentas como estas, o poder de uma notícia que não tenha os metadados devidamente definidos, vai começar a diminuir. Por outro lado, os artigos de opinião e tutoriais terão mais importância

 

5. Conteúdos Sociais

O Google tem já acordos com redes sociais como o Twitter e o Facebook, para indexar mais facilmente os seus conteúdos no motor de busca, o que faz com que apareçam páginas das redes sociais aquando uma pesquisa.

Em 2016, mais plataformas sociais terão estes protocolos, o que fará que os posts sociais tenham tanto ou mais peso que um website independente.

 

6. Deep Links em Apps

O Google tem vindo a indexar apps, antecipando um futuro onde as apps tendem a ultrapassar os websites tradicionais tanto a nível da popularidade como das funcionalidades.

Agora é a atura certa para investir numa aplicação, pelo menos para grandes e médias empresas. Para negócios mais pequenos é crucial estarem registados em grande parte das aplicações.

A partir de 2016 os “deep links” (links que levam para uma página ou secção específica de uma aplicação), vão ter mais importância.

 

7. Pesquisas locais

Prevê-se que as pesquisas locais expludam em 2016, apesar de já fazerem parte das regras de SEO. Com o uso dos dispositivos móveis e o aparecimento das especificações locais do Google, vão levar a uma pesquisa local ainda mais específica, deixando de indexar a nível de cidades ou regiões e começando a especificar a nível de ruas e bairros.


tags: