Tendências digitais para 2016

Tendências digitais para 2016

eTrends
14 Outubro, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

Para as marcas é importante conhecer o futuro e as tendências para as estratégias, para que possam ter noção do caminho que devem seguir e de como melhorar o seu plano de marketing para chegar da melhor forma ao seu público.

 

Estamos a menos de 3 meses de 2016 e o seu planeamento não tem muito tempo para ser pensado. Caminhamos a passos largos para o fim deste ano e não resta mais nada que pesquisar estas tendências novas para abraçar neste novo ano.

 

1. O video marketing no topo

Sabemos que grande parte do sucesso das marcas se deve ao vídeo online e cada vez mais é indispensável dar este passo e investir num marketing mais audiovisual.

Para além do mais, o vídeo é parte integrante do novo algoritmo do Google, atualizado há uns meses.

2016 é já visto como a idade de ouro do vídeo.

 

2. Mobile marketing em grande

Outro dos pontos focados aquando a atualização do algoritmo do Google, foram os aspetos mobile, que fazem parte da vida de metade da população mundial.

Na verdade, cerca de 56% dos conteúdos digitais são hoje, de acordo com a comScore, acedidos através de mobile.

Considere opções mobile-friendly como websites responsivos e apps, que se mostram bastante produtivas e vão ganhar mais protagonismo durante o próximo ano.

 

3. Assistentes digitais: o perigo

A importância do SEO (search engine optimization) é conhecida. Mas, para 2016, as marcas têm a desculpa perfeita para continuarem com atualizações constantes.

Os assistentes digitais como a Siri (iOS) e a Cortana (Google) estão preparados para responder aos pedidos dos consumidores e se uma marca não estiver otimizada, arrisca-se a não aparecer nas sugestões. É importante começar a perceber como estes dispositivos funcionam.

 

4. Publicidade mais cara

Sabemos que a publicidade em papel tem os dias contados e que cada vez há mais formas de dar a conhecer a sua marca através dos meios digitais.

As constantes atualizações destes meios e das suas tendências fazem as marcas perderem algum do dinheiro investido em propagandas. Por outro lado, também na compra dos próprios espaços publicitários se prevê um aumento dos preços, pela sua flexibilidade, alcance e, sobretudo, complexidade.

 

5. Realidade virtual e wearables

A realidade virtual começou já a dar o ar da sua graça, mas é em 2016 que se espera que comece a conquistar o mundo. O lançamento do Oculus Rift (do Facebook) é entendido como o empurrão que falta para a realidade virtual começar a fazer parte constante do nosso mundo.

Também o facto do consumidor estar sempre ligado dá mais oportunidades às marcas para o alcançarem. Para além dos dispositivos comuns há ainda os wearables (como o Apple Watch) que permitem estar ainda mais em contacto com o consumidor.

 

Mantenha-se atento!