Tendências de Marketing 2016

Tendências de Marketing 2016

eTrends
21 Outubro, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

Com a adoção dos dispositivos móveis que deve alcançar os dois mil milhões em todo o mundo em 2016, a oportunidade das marcas interagirem com os consumidores é agora maior que nunca.

Assim como a tecnologia tem crescido e evoluído, o marketing digital tem permitido tirar partido dessas evoluções para solidificar as relações com clientes, dando-lhe um novo significado e uma maior base de confiança. O mundo não pára e as tendências mudaram e evoluíram. Aqui estão algumas das tendências que pode esperar no próximo ano.

 

1. Apps no topo

O mobile marketing tem, nestes últimos tempos, conseguido reunir um número notável de tendências e oportunidades, desde SMS a websites responsive e mobile-friendly, ou apps. O principal objetivo das Apps é substituir o website e facilitar, assim, a experiência ao utilizador.

Desde 2013, o download de apps mais que duplicou, chegando a mais de 100 mil milhões.

As marcas estão agora a criar as suas próprias apps, de forma a envolverem o cliente e conseguirem criar algum lucro com elas.

 

2. Snapchat: quase, quase essencial

Assim como o Facebook e o Twitter, os marketeers vão perceber o quão importante é o Snapchat para as maras.

Esta rede social está a ganhar popularidade, ocupando um lugar entre as plataformas de marketing em tempo real: e o público adora marketing em tempo real, ao permitir conteúdos únicos na hora.

É importante agradar a esta nova geração de consumidores, os Millenials, e as estratégias “one fits them all” não vai funcionar.

 

3. Transmissões ao vivo

O vídeo é, sem dúvida, uma das estratégias com uma evolução mais rápida e o Live Streaming tem ganho a sua quota de importância.

Para além da contratação de empresas que facilitem a transmissão instantânea, encurtando a relação com o público e, mais uma vez, transmitindo mensagens em tempo real.

 

4. Rich media

Rich media é uma forma de publicidade digital que utiliza tecnologia avançada para agarrar os consumidores através do streaming de vídeo.

O HTML5 é uma das linguagens que ajudam a criar vários conteúdos como jogos e vídeos.

Por norma, os anúncios de Rich Media permitem ao público interagir.

 

5. E-mails diretos e personalizados

O e-mail marketing deverá ser uma estratégia personalizada, não só com o nome do destinatário, mas também no e-mail que envia, abordagem e tratamento dos conteúdos.

Os e-mails permitem-lhe dar “asas à imaginação” e partilhar conteúdos criativos e envolventes.

 

6. Estatísticas e métricas

Já não é suficiente ter conteúdos. É necessário ter a certeza que chegam ao público certo, que o compreenderá, trazendo bons resultados à marca.

Com dados disponíveis em abundância e ferramentas para continuar a medir estratégias, as empresas podem agora gerir esses dados e partilhar os conteúdos certos.