Porquê pensar em estratégias de mobile marketing?

Porquê pensar em estratégias de mobile marketing?

Marketing
27 Janeiro, 2015 -
Tempo de leitura : 2 min

40% dos minutos de vídeo assistidos no YouTube são de smartphones, o que corresponde a 27% dos consumidores mobile de vídeo online, um valor que se prevê duplicar até 2016 e torna o mobile numa enorme vantagem para os marketeers.

Assim, para perceber porque é que o mobile pode ajudar as marcas, a Google e a Ipsos fizeram um estudo que pretendia perceber os hábitos online e offline da Geração Y (dos 18 aos 34 anos), uma geração da qual apenas 19% não possuem um smartphone, sendo o meio nº 1 para os alcançar. Para além de 98% relatarem o uso de smartphones para visualização de vídeo, registou-se uma maior atenção durante esta tarefa quando comparado a qualquer ecrã, sendo que apenas 28% não interromperam ou se distraíram enquanto assistiam a vídeos na televisão.

Para além disso, o vídeo mobile permite ser visto em qualquer lugar, mesmo que fora de casa, o que foi confirmado num outro estudo que utilizou dados meteorológicos para tirar conclusões: em dias de chuva registou-se um aumento de 40% do tempo de visualização de vídeos em frente ao computador, ao passo que, em dias mais ensolarados, a visualização em smartphones foi 6 vezes superior, o que explica os 34% de minutos de vídeo que são assistidos fora de casa.

 

E então, qual a melhor forma de construir uma campanha?

1.Responsive Design:

Num mundo multi-ecrã é essencial que os conteúdos sejam versáteis para se adaptarem e poderem ser vistos/reproduzidos em qualquer que seja a resolução do ecrã do visualizador. Aliás, é essencial perceber que tanto os smartphones como o vídeo são das tendências mais fortes do momento e a conjunção das suas tem um resultado bombástico no ROI (return of investment).

Certifique-se de que o seu vídeo tem qualidade suficiente para ser reproduzido em dispositivos mais pequenos, com capacidades mais reduzidas que um computador e com uma internet não tão boa. Tenha em atenção a duração do vídeo (os vídeos mais longos são preferencialmente vistos em ecrãs maiores) e a velocidade de carregamento ou reprodução (quando o vídeo demora muito a carregar ou pausa demasiado as pessoas têm tendência a fecharem o player).

 

2.Criar experiências in-the-moment.

Como o mobile capta a atenção dos consumidores em qualquer lado, as marcas devem aproveitar essa mesma oportunidade. Hoje, é possível fazerem-se apps que permitam uma personalização e maior segmentação, mais focadas com o consumidor e não tanto com a publicidade à marca, sendo uma excelente oportunidade.