O que o futuro reserva no Mobile.

O que o futuro reserva no Mobile.

eTrends
30 Setembro, 2015 -
Tempo de leitura : 2 min

O mundo digital atingiu recentemente um marco: a interação mobile ultrapassou o uso do computador pela primeira vez na história.

Esta tendência cria experiências constantes e novos desafios e oportunidades para os gestores de conteúdos.

Então, qual é a melhor estratégia de conteúdos para dispositivos móveis?

A resposta nem sempre é óbvia. Na verdade, o ideal é conjugar várias estratégias, mas primeiro, saiba como organizar corretamente a sua estratégia mobile.

 

1. Experiência do utilizador

Já se sabe que experiências nos dispositivos móveis não são iguais a experiências no computador.

O público móvel tem normalmente imensas distrações: pode aceder ao conteúdo no metro, num comboio, num centro comercial, num evento, etc, para além de que as interações são limitadas.

Por isso, a experiência tem de estar otimizada, preparada para ser mais forte que qualquer distração que possa surgir: proporcione-lhe uma agradável experiência de leitura, desista dos pop-ups, pesquise o melhor conteúdo e, acima de tudo, ouça o feedback e tente corresponder às expectativas.

 

2. Anúncios nativos

Há pesquisas que mostram que quem carrega em anúncios nativos tem tendência a comprar o produto, mais que quem carrega em banners.

Estes anúncios são uma forma de a marca se ligar ao público-alvo. No entanto, no computador estes anúncios são mais bem vistos que no telemóvel onde ocupam (quase) todo o ecrã, ou seja, o seu design, conteúdo e proposta de valor deverão misturar-se com a experiência móvel.

 

3. Engagement

Com as atualizações mais simples, pode conseguir-se transformar visitantes  em clientes leais num instante.

O tempo médio passado hoje no telemóvel é de 3 horas e há tendência a aumentar. No entanto, o seu conteúdo tem de ser atraente, caso contrário, o tempo que serviria para estar no seu website, servirá para os seus possíveis clientes estarem no Facebook ou qualquer outra rede social.

Otimizar o engagement através de conteúdos e páginas intuitivas vai facilitar a experiência do público: incentive-os a inscrever-se como contacto, a fazer download da sua app ou qualquer outro tipo de ação.

 

4. Monetização

As marcas e marketeers estão a certificar-se que os seus investimentos estão a ter retorno, tentando encontrar a melhor forma de render as suas apostas, como por exemplo, CPA (custo por aquisição). O ideal será testar vários modelos, para perceber qual o mais rentável.