O novo conteúdo da era digital: vídeo

O novo conteúdo da era digital: vídeo

Online Video
15 Setembro, 2015 -
Tempo de leitura : 2 min

A Cisco publicou recentemente um relatório com previsões sobre o tráfego global de internet para os próximos 4 anos.

Em primeiro lugar, e talvez um dos pontos mais interessantes, realçou o facto que em 2016 o tráfego geral deverá ter ultrapassado 1 zettabyte (mil milhões de terabytes). Dentro deste tráfego, incluem-se os conteúdos de vídeo que até 2019 representarão 80% do valor, e até esse mesmo ano 70% do tráfego será de conteúdos em alta definição, o que vem mais uma vez comprovar a importância e o sucesso do vídeo online.

Descubra, então, mais algumas mudanças que se vão fazer sentir.

 

Adeus TV!

Grande parte dos marketers estão a concentrar os seus orçamentos para longe da TV, investindo no vídeo online, o que corresponde a um crescimento anual de 43% no orçamento, variando entre OVPs, plataformas tradicionais como o Youtube e Vimeo ou ainda não muito exploradas como o Instagram ou Facebook.

 

Mercado de vídeo

Durante uma época, o vídeo online estava apenas ao alcance das grandes marcas. Mas hoje já não há necessidade das marcas pequenas se manterem afastadas.

Sim, o vídeo ainda tem algum peso no orçamento, mas ele está ao alcance das PMEs hoje, mais que nunca.

 

Assim, ao nível das grandes marcas, as PMEs conseguem hoje reunir bons materiais com um orçamento menos: o crescimento exponencial das tecnologias de vídeo e a popularidade das câmaras teve uma grande influência nesta facilidade, bem como a disponibilidade e acessibilidade de softwares de edição modernos e sofisticados.

 

Storytelling

As marcas precisam de agir mais como editores.

O conteúdo criado tem de cativar o público e as histórias são a melhor forma de o fazer.

O conteúdo não pode passar despercebido e, ao contrário de um texto ou imagens, o vídeo combina um conjunto de sensações que chamam o público e permite ao storytelling criar ligações emocionais entre o espetador e a marca, gerando relações de confiança e fidelidade.

Mas, em primeiro lugar, para criar qualquer relação de proximidade, as empresas precisam de perceber o poder de contar histórias.

 

Aliás, para este mundo digital constantemente em mudança, quer as grandes empresas como as pequenas precisam de perceber que o vídeo sozinho já gera crescimentos nas conversões e vendas e com uma história ganhará pontos consideráveis junto do público.