Natal 2014: o Vídeo e o M-commerce

Natal 2014: o Vídeo e o M-commerce

eTrends
20 Novembro, 2014 -
Tempo de leitura : 2 min

O Natal está aí e se há algo que vai caraterizar esta temporada são as compras online, que estiveram em voga todo o ano: o marketing social, o e-commerce, o email marketing, o mobile marketing… são tudo fatores que poderão influenciar as vendas nesta época festiva.

A tendência é que a sua montra luminosa e nevada e os seus jingles natalícios sejam um pouco deixados de lado este ano e trocados por websites que atraem, envolvem e… vendem.

Os emails, os tweets, os anúncios de Facebook são a decoração dos tempos modernos e um website bem organizado e a presença móvel são fatores obrigatórios numa altura em que 50% dos consumidores fazem compras através do smartphone e grande parte das vendas são influenciadas, de alguma forma, online: 27% compararão preços e ofertas e outros 27% procurarão inspiração e ideias, 19% procurarão formas de melhorar o seu orçamento a procurar melhores ofertas e descontos em apps e 14% procurarão por cupões, vales de oferta ou qualquer outro tipo de incentivo. 

 

No entanto, este ano prevê-se também um gasto menor que o do ano passado nas compras, com uma diferença que balança entre os €300 e €500, mas para uma igual ou maior quantidade de produtos, ou seja, os clientes querem menos por mais, procurando um preço menor e ofertas maiores, sendo o telemóvel dos meios mais eficazes e rápidos para estas pesquisas. Mas as lojas não estão nem vêem com prioridade estar preparadas para este passo: 68% não vão aumentar ou, se quer, manter o seu investimento na área e apenas 1/3 tem o m-commerce (mobile commerce) no topo da “To-Do List”.

 

Então o que é preciso?

É fácil: o seu cliente deverá conseguir aceder ao seu website a partir de qualquer dispositivo e sem qualquer problema, envolvendo-se rapidamente.

E o que o pode ajudar ainda mais é o vídeo, uma ferramenta que transmite confiança, influenciando 85% dos seus viewers a adquirir o que é apresentado e 40% diz que aumenta o engagement e a preferência (e os jovens entre os 18 e os 34 anos são ainda duas vezes mais propensos a gostar e partilhar que os outros grupos etários), pois permite uma maior compreensão das dimensões e utilidades do produto ou serviço, em qualquer que seja o formato e funciona para qualquer um dos públicos (quer os revendedores e consumidores de loja ou os utilizadores móveis).