Mundo Móvel

Mundo Móvel

eTrends
11 Junho, 2014 -
Tempo de leitura : 2 min

Não é novidade que o uso de telemóveis está em constante crescimento nas estatísticas, bem como o uso da internet e das aplicações disponíveis para smartphones. Mais exatamente, em 2012, cerca de 35% dos portugueses acediam à internet fora de casa, 88% possuíam telemóvel e 20% já utilizavam a internet a partir do telemóvel ou smartphone e estimava-se que este ano o uso de internet móvel ultrapasse os desktops, mas isso já aconteceu em 2013.

Na verdade, a percentagem que diz que abdicaria de alguns vícios por um smartphone é bastante grande, tendo-se tornado numa grande vantagem para o marketing: uma média de 64% pessoas em todo o mundo acedem a redes sociais no telemóvel (sendo o Facebook a mais requisitada) e cerca de 43% procuram informações sobre produtos, até quando já estão na loja!

Enquanto o consumidor gosta de descobrir as ações que a sua marca tenha feito no fim-de-semana passado e está a planear para o futuro, para a marca é mais fácil estar dentro das opiniões e sugestões dos consumidores e possíveis consumidores e dos resultados que determinada atividade teve: o feedback gerado numa página de uma rede social é, claramente, de mais simples análise. Um vídeo disponível para várias plataformas ou uma página nas diversas redes sociais pode fazer a diferença entre o sucesso da loja ou o seu esquecimento: o consumidor de hoje quer estar próximo da marca e quer que a marca esteja próxima dele. Não é por acaso que 82% das empresas considera de grande importância o acesso aos conteúdos em várias plataformas e 56% pretende mesmo aplicar-se sobre esse assunto.

A verdade é que, numa altura em que as pessoas dependem tanto de um telemóvel/ smartphone ou de um tablet, as marcas só não chegam aos consumidores se não quiserem: cerca de 39% do download de aplicações é para vídeos e 25% para fazer pesquisas (sendo que apenas 4% é de serviços de voz e mensagem). Os dispositivos móveis representam 40% do tempo de visualizações no YouTube.         

O importante não é só estar disponível na internet ou em aplicações móveis, o mais importante é conseguir conjugar tudo isso, criar um conteúdo que esteja disponíveis em todos os canais a que os consumidores e possíveis consumidores tenham acesso, e ter tecnologia que permita editar, complementar e partilhar esse conteúdo. 

 

Estima-se que, em 2015, o tráfego de vídeos no telemóvel preencha 63% do tráfego total de aparelhos móveis: vai fazer parte desta estatística?

 fonte: http://www.reelseo.com