Millenials e o Comércio Online

Millenials e o Comércio Online

eTrends
31 Julho, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

Os Millenials, também conhecidos como Geração Y, nasceram entre 1980 e 2000, como tal são os novos consumidores e o grupo que mais está ligado às novas tecnologias e, por consequência, ao e-commerce. Como tal, são uns dos grandes alvos das marcas, mas também os que mais dúvidas lhes suscita.

 

Para além do e-commerce, também o uso dos dispositivos móveis ganha um novo significado para as marcas, graças aos Millenials, que são a geração que mais usufrui destes equipamentos muito para além da troca de mensagens ou chamadas.

Segundo uma pesquisa social, 35% dos Millenials usa dispositivos móveis para compras, o que resume o aparecimento do termo “M-Commerce” (mobile commerce, ou seja, comércio através de dispositivos móveis) e alia o sucesso do e-commerce entre Millenials e o sucesso dos dispositivos para esta geração.

Dados do mesmo estudo comprovam precisamente isso: 40% dos Millenials afirma usar uma loja online no telemóvel uma vez por mês.

 

A geração Y adora estar online. Aliás, são a geração que mais tempo passa online e, como é óbvio, algum desse tempo serve para conhecer as melhores ofertas de compras, novas marcas e as opiniões do público sobre determinados produtos, serviços e marcas.

Na verdade, os Millenials nasceram no seio da crise económica, não tendo grande poder económico. No entanto, são uma geração com necessidade de estar a par das tendências e estão de tal forma ligados ao e-commerce que passam bastante parte do tempo à procura das melhores ofertas: 26% criam contas falsas para dar a entender que nunca fizeram compras e receber descontos para novos clientes; 36% têm várias contas de e-mail registadas numa mesma loja para receberem várias ofertas, muitas vezes duplicadas; 47% já deixaram itens em espera no carrinho propositadamente na esperança que a marca faça algum tipo de desconto, 36% subscrevem contas premium a meias para que o custo seja reduzido, mas tenha acesso às ofertas e 44% esperam que as marcas disponibilizem mais ofertas personalizadas de acordo com os produtos que lhe interessam.

 

No entanto, sendo de certa forma contraditório, odeiam publicidade, definindo as SMS que certos negócios enviam como invasão de privacidade. Um total de 63% também evita anúncios online.

Mas será que estes dados significam que as marcas deverão esquecer a publicidade? Não. A publicidade das marcas tem de ser simplesmente reestruturada. Por exemplo, 39% dos Millenials, segundo a Puro Marketing, dizem que grande parte das marcas não oferece personalização suficiente no que toca à publicidade.

 

De qualquer forma e apesar destes dados, não se prevê um desaparecimento de lojas físicas. Apenas precisam de ser reorientadas e combinar as estratégias offline com novas e irreverentes estratégias online. Para os Millenials as lojas físicas e as lojas online são o mesmo, apenas apresentado de forma distinta.