Media Vision 2020 by Ericsson

Media Vision 2020 by Ericsson

eTrends
07 Novembro, 2014 -
Tempo de leitura : 2 min

Na segunda metade do século passado as grandes evoluções televisivas começaram a ser mais frequentes mas, mesmo assim, as principais demoravam pouco menos de uma década entre si. Com o passar dos anos, a tecnologia em geral foi registando cada vez mais avanços e, na próxima metade desta década (2015 - 2020) prevê-se um dos mais excitantes e inovadores períodos na história da televisão e tecnologia em geral, onde a internet e o mobile entram como atores principais.

 

A Ericsson fez uma previsão destas mudanças televisivas que estão para chegar e reuniu-as no relatório Media Vision 2020.

O estudo começa por comparar, como base de suporte, o evento de abertura dos Jogos Olímpicos de Londres em 1948 e 2012, em que o primeiro evento mal chegou a 100 milhares de aparelhos televisivos no Reino Unido e o mais recente ultrapassou os 900 milhões de visualizações em diversas plataformas.

A primeira grande revolução é na internet que terá um papel crítico e decisivo na indústria televisiva: prevê-se que em todo o mundo em 2020 a banda larga móvel terá excedido os 8 biliões de assinaturas, e a banda larga fixa terá ultrapassado 1 bilião de subscrições, representando 75% das televisões digitais.

Mais, de acordo com o relatório os acessos facilitados à internet a nível mundial ultrapassarão os 90%, ou seja, através de smartphones, tablets, computador ou smartTV conseguiremos facilmente fazer uma pesquisa ou aceder a conteúdos disponíveis online, o que equivale ao quádruplo da internet em 2020.

O tráfego de documentos por mobile espera-se que cresça cerca de 45% (2013-2019), e estima-se um crescimento 10 vezes maior até ao fim de 2020.

O que provoca este número assustador é o crescimento do número de smartphones, em que o vídeo lidera os ficheiros partilhados: 50% será on-demand, comparado ao live ou TV linear.

De qualquer forma, os serviços de partilha de conteúdo e os serviços pagos de TV precisarão de elaborar um acordo, de forma a proporcionar uma boa experiência aos clientes que nesta altura estarão divididos em novos nichos, prontos a serem explorados.

A Ericsson não só considera que o lema “content is king” se manterá, como tanto incluirá um live streaming num ecrã 4K Ultra HD numa sala de estar como um episódio de uma série antiga num tablet de 7’’ num comboio.

 

Verdade seja dita, estas previsões não estão tão distantes quanto isso nem parecem assim tão impossíveis quando observamos o mundo de hoje à nossa volta e damos uma vista de olhos nas novidades tecnológicas que quase diariamente se apresentam nos noticiários.