E-mail marketing: o que pode esperar?

E-mail marketing: o que pode esperar?

Marketing
29 Abril, 2015 -
Tempo de leitura : 2 min

O e-mail marketing continua a conseguir pageviews e a incentivar os consumidores a comprar, o que faz com que as marcas não tenham desistido desta estratégia nem estejam a pensar fazê-lo. No entanto, há vários assuntos que lhes causam preocupação, como por exemplo o planeamento, segmentação e análise das campanhas, os instrumentos e resultados das análises, bem como os tipos de comunicação mais relevantes. A personalização das campanhas bem como a sua estruturação e copy são também parte integrante da lista de preocupações dos marketers no que toca ao e-mail marketing.

Contrariamente ao suposto e apesar da sua importância incontestável numa altura tão móvel como esta é, precisamente, a vertente responsive dos e-mails que é uma preocupação mínima na mente dos marketers.

 

Apesar de todos os meios alternativos, 54% dos profissionais de marketing afirma que o e-mail marketing ainda é a melhor maneira de atingir os consumidores e continua uma excelente forma de conseguir conversões: os consumidores recebem informações corporativas que funcionam mesmo com audiências que pareciam não ser grandes fãs deste meio, como os millenials. O e-mail marketing é também uma estratégia que pode perfeitamente ser integrada com outros tipos de marketing digital, integrando-se num plano mais complexo.

O e-mail marketing mostra-se de tal forma eficaz que não se prevê que seja ignorado pelos marketers nos próximos anos. Na verdade, 76% acredita que a comunicação via e-mail será ainda mais personalizada e 74% vêem-no como um dos canais com melhor ROI.

Ainda uma boa percentagem (56%) acredita que brevemente será automatizado, que é outra das principais preocupações deste ano.

 

Com a ascensão das redes sociais e a conquista do marketing social, ainda houve previsões contra a utilização do e-mail marketing, acreditando-se que tinha chegado ao fim dos seus dias. No entanto, os diversos estudos feitos mais recentemente demonstram o contrário: o e-mail marketing está realmente aí, mais forte que nunca e com a vantagem de facilmente se poder integrar noutras estratégias de marketing como vídeo marketing ou o marketing social.

 

Pode esperar, assim, uma caixa de entrada recheada de informação das suas marcas preferidas e preparar-se para ver quais as melhores estratégias para integrar com a sua própria estratégia de e-mail marketing.