Copy para call-to-actions envolventes

Copy para call-to-actions envolventes

Marketing
07 Agosto, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

O copy utilizado para criar call-to-actions (CTA) é um elemento extremamente importante para influenciar as ações dos seus leitores.

Neste caso, questionamos a melhor forma para criar um copy apelativo capaz de seduzir os nossos clientes e trazê-los até nós. Por este motivo, o MOVE reuniu cinco pontos que devemos ter em atenção ao desenvolver um copy para um CTA.

 

1. Meta: onde quer chegar?

Em primeiro lugar e de extrema importância é a definição clara do objetivo do call-to-action: quais são as atitudes que pretende que o público tome?

Este é um dos pontos-chave para a definição da mensagem certa para atingir a meta que pretende.

 

2. Cor: a embalagem importa

Claro que a construção do texto é importante, mas se o botão passar despercebido, de nada vale.

A utilização de recursos visuais que apoiem a sua mensagem é importante: escolha as cores adequadas, não demasiado berrantes, com os contrastes certos, para que chame a atenção, mas que seja, ao mesmo tempo, discreto, sem ofuscar a mensagem que o rodeia.

 

3. Tamanho: o sentido do termo “q.b.”

Foque-se numa mensagem curta e clara.

Curto e pouco apelativo não é tão bom como algo um pouco mais longo e mais pessoal: os melhores CTAs não chegam a 150 caracteres - que são mais que suficientes!

Um botão demasiado pequeno não vai conduzir à ação tão eficazmente, mas um em tamanho XXXL vai soar a desespero.

Pense numa mensagem curta, direta, clara e personalizada e faça um botão que consiga transmitir exatamente o que pretende.

Lembre-se que a mensagem que pretende transmitir não pode ser ofuscada pela chamada de atenção. Ela é exatamente importante-

 

4. Tom: menos é mais

Termos demasiado técnicos podem assustar.

Use palavras simples, familiares e pouco técnicas, mas que demostrem experiência e liderança.

Explique os benefícios da sua oferta no mínimo de palavras possível.

É importante falar a mesma língua que os seus clientes: escreva um copy de fácil compreensão e que favoreça o envolvimento do cliente, evite termos demasiados técnicos, humanizar o seu conteúdo com palavras do quotidiano e adote um termo de conversação.

 

5. Orientação: o copy certo

Deverá sempre escolher as suas palavras de forma inteligente, visto que as mínimas alterações podem fazer a maior diferença.

Usas expressões específicas e personalizadas também pode ajudar: entre um “peça informações” e um “consiga informações”, o segundo é mais pessoal e vai ter mais sucesso.

Crie algo mais conciso e apelativo, estimulando o leitor a tomar medidas e mostrando-lhe benefícios sempre que possível: “adicione ao carrinho- leve 2 por 1 só hoje” é melhor que “adicionar agora”.


Há vários tipos de CTAs que já revelaram sucesso em determinadas circunstâncias. No entanto, cada caso é um caso: observe o seu público e relacione a sua marca. Teste os CTAs para compreender quais os que melhores se adaptam a si e ao seu público.