Aumento do Consumo de Streaming em 2014

Aumento do Consumo de Streaming em 2014

Online Video
21 Novembro, 2014 -
Tempo de leitura : 2 min

A Ericsson Consumer Lab realizou um estudo baseado em mais de 23.000 inquéritos online em 23 países e 75% dos inquiridos afirmam ver conteúdos de streaming várias vezes por semana… um valor que ganha ainda mais importância, comparado à percentagem de visualizadores de canais convencionais, que representa 77% dos inquiridos.

O tempo passado a ver conteúdos em smarphones e tablets aumentou e a verdade é que 19% dos espectadores inquiridos não se importariam de pagar para aceder a conteúdos desde qualquer dispositivo, o que daria um aumento para 25% em dois anos.

Também os pacotes pagos de televisão trazem algumas vantagens, principalmente a possibilidade de gravação para ver mais tarde e, para a Ericsson Consumer Lab, esta função é uma das grandes contribuições para a “atração televisiva” que se vive hoje em dia influenciada em grande parte com a chegada de séries e sagas de filmes que obriga a que se fique algum tempo à espera de um novo episódio. E a realidade é que 56% dos subscritores de serviços de Video OnDemand preferiam ter todos os episódios de uma vez, principalmente pela possibilidade de poderem escolher eles próprios quando os ver.

Também a FreeWheel, uma plataforma de ajuda a redes televisivas, revelou um estudo que mostra que os conteúdos Live Streaming estão cada vez mais a tornar-se uma tendência. Principal e inevitavelmente, este ano, com uma série de diversos grandes eventos, desde o tão badalado Mundial, passando pelos Jogos Olímpicos de Inverno e jogos NBA que mostraram uma surpreendente subida de 201% nas visualizações online comparativamente a anos anteriores e 70% das visualizações dos anúncios vieram do conteúdo live.

O Live Streaming, por ser em tempo real, permite uma maior proximidade com o público, promovendo a sua interação com a marca e aumentando o ROI (return of investment).

De acordo com Heyman Rönnblom, consultor da Ericsson Consumer Lab, as empresas de media precisam de repensar como criar e trazer conteúdo para o mercado de forma a agradar ao público e a conseguir prendê-lo, enquanto que os fornecedores de serviços de televisão e streaming devem definir a melhor forma de oferecer a melhor qualidade possível, independentemente do dispositivo a partir do qual o público aceder ao conteúdo.

E então, já está convencido com esta nova tendência? Sente-se preparado?

fonte:http://cineytele.com/