As apps e os Millenials

As apps e os Millenials

eTrends
19 Maio, 2015 -
Tempo de leitura : 2 min

Os Millenials são eminentemente móveis, andam constantemente com os seus dispositivos como smartphones e tablets, seja em tempo de lazer quando consomem conteúdo diretamente dos seus dispositivos ou perante a compra quando os usam para obter respostas sobre o produto ou comparar diferentes marcas.

Para chegar até aos Millenials o melhor é, então, utilizar as ferramentas que estes meios oferecem e as aplicações móveis tornam-se, portanto, uma aposta perfeita para as marcas, como elemento–chave na criação de uma ligação com este grupo de consumidores, tão específico. No entanto, há que saber como criá-las de forma a não se tornarem contraproducentes, que é muito fácil para este tipo de ferramenta: 55% dos Millenials sentem-se muito menos inclinados a efetuar uma compra se a aplicação não é o que esperavam, 39% diz que não recomendam a marca se a aplicação falhar e 27% diz que afeta a imagem da marca.

Por isso, para começar, a aplicação tem de corresponder aos valores da empresa. Devem concentrar-se nos pontos que não estão certos e dar mais valor à experiência que contribui para uma relação entre a marca e o utilizador. A experiência deve, então, ser funcional e relevante, ou seja, deve oferecer-lhes algo útil e interessante que os atraia.

 

O melhor é criar uma estratégia de aplicações que trabalhe nos mais variados dispositivos. No entanto, se tiver de optar por apenas um dispositivo, deve construir-se a aplicação para smartphones, que continua a ser o meio mais utilizado: 66% da geração millenials usa o smartphone para aceder ou carregar conteúdos para uma app.

A forma como estão a gerir o conteúdo digital e de que forma usam as aplicações para novas utilizações é um guia de compreensão dos seus hábitos, do que está a mudar e dos dispositivos com mais peso no seu dia–a–dia.