A Música no Marketing

A Música no Marketing

Marketing
27 Fevereiro, 2015 -
Tempo de leitura : 3 min

Os Millenials compõem uma boa parte da população mundial e têm algum poder de compra,  mas para vender produtos, serviços ou conceitos a um membro da geração Y é necessário que os comerciantes se conectem com eles emocionalmente. Na última década uma das ferramentas mais úteis para esta maior envolvência com o público, tem sido a música.

 

A música também faz parte do conteúdo de uma estratégia e é bastante importante: estimula a interação social e a lealdade. As tecnologias de streamimg e o utilizador multi-screen forçaram mudanças drásticas no uso da música como ferramenta de marketing em marcas de várias categorias de consumo.

 

A música e as redes sociais

A conexão e a partilha são os principais impulsionadores por trás da maior parte das redes sociais. O Twitter, e agora também o Instagram, são as redes sociais mais in no mundo da música e as mais famosas entre artistas e bandas.

Por serem tanto mais apelativas como mais fáceis e rápidas de manter atualizadas, os artistas optam por estas duas redes sociais como forma de ligação íntima com os fãs que se sentem realmente mais próximos deles. A sua utilização é realmente importante e muito eficaz no lançamento de campanhas, promoção e lançamento de músicas e tours. A associação de um artista a uma marca é um ponto bastante a favor para a marca.

Assim, as redes sociais ligam o fã ao artista e às marcas de que o artista gosta e apoia.

 

O contacto emocional

A música transmite emoções e cria um laço com quem se identifica com ela, o que é importante para uma marca.

A música escolhida para determinada campanha ou apresentação deverá ter em conta o público, a imagem da marca e o que se pretende vender com ela.  A música é o item do anúncio de mais fácil memorização e, muitas vezes, é ela que é associada à marca.

 

Ações Sociais

Esta ferramenta tem muito poder social e move multidões. Cada um com os seus gostos, mas a verdade é que quando determinado artista/banda abraça uma causa, os fãs têm tendência em aderir igualmente a essa causa.

Através de parcerias, ou mesmo pelos próprios artistas, a música tem servido como incitador a muitas causas nobres das mais variadas razões.

 

No entanto, apesar de ser usada para marketing, a indústria da música tem muito a aprender com o Marketing Digital.  O streaming é o único serviço de música que está a crescer mesmo comparativamente à rádio que é a grande atração da geração Y. E não é por acaso que alguns artistas têm muitos fãs/seguidores nas redes sociais. Na verdade, o mundo da música requer os mesmos esforços que qualquer outro setor de comércio: é importante manter uma relação boa e humana com o público .

A personalização da página é muito importante para que o público se sinta mais próximo do artista, quando ela é gerida pelos próprios membros da banda ou pelo próprio artista atrai muitos mais fãs do que se for apenas uma página de fãs ou gerida por um manager. A vida íntima de um artista pode ser facilmente identificada nas redes sociais, e é o que fascina mais os fãs e os faz sentir mais próximo dele.

Com momentos pessoais, etapas ultrapassadas, planos para o futuro publicados pelo próprio artista, a página fica muito mais genuína.